domingo, 13 de agosto de 2017

OS HUMANOS QUE VIERAM DE MALDEK E DE MARTE




Agosto 13, 2017







Maldek era um planeta plenamente habitável como a Terra que orbitava entre Marte e Jupiter.

Tanto em Maldek como em Marte, ambos tinham a atmosfera da Terra, e lá também foram criados humanos cujo DNA já era modificado.

Com o DNA modificado naqueles humanos foram despertados a ambição pelo jogo de poder e pelo materialismo e a ganância. Assim, na busca do poder eles se tornaram conquistadores e destruidores.

Grandes guerras foram travadas naqueles planetas e ao redor a mais de 13 mil anos, de tal forma que destruíram o planeta Maldek, que hoje não passa de um grande cinturão de asteroides que orbitam no espaço próximo a Marte.


Cinturão de asteroides entre Marte e Jupiter que, segundo estudiosos,
representam o que restou do planeta Maldek


Em Marte destruíram toda a atmosfera habitável.

A Terra sofreu grandes destruições de cidades inteiras, bem como continentes afundaram. Hoje se fala que foi o motivo do afundamento de das chamadas civilizações de Lemúria e Mú. Restando Atlântida como uma civilização avançada.

O sobreviventes de Maldek e Marte que conseguiram fugir vieram para a Terra e se refugiaram em Atlântida. Na nossa atual civilização na Terra esses humanos ficaram conhecidos como os anjos caídos.

O povo de Atlântida tinha seu DNA original humano, de forma que era totalmente conectado as energias naturais do Universo. Uma civilização prospera voltada unicamente ao crescimento e expansão da consciência humano enquanto ser galáctico. Os humanos de Atlântida não tinham a ambição, a desconfiança, a esperteza, a ganância e os jogos de sedução dos Maldekianos e Marcianos.

Assim que chegaram os humanos de Maldek e Marte, logo foram separados dos humanos da Terra e foi feito um muro dividindo Atlântida para fins de que não houvesse a mistura das raças.

Porém, os humanos de Maldek e Marte conseguiram se infiltrar por toda a Atlântida. O resultado foi a destruição de Atlântida também, devido a ganância e jogos de poder e sedução criados pela mistura do DNA entre os habitantes que passaram a se unirem conjugalmente e seus filhos já nasciam com o DNA misturado.

Essas almas entraram na roda do karma e reencarnações, que também chamamos de quarentena. A quarentena significa uma forma de prisão onde os humanos não podiam mais sair da Terra. Tanto que a maioria dos humanos que vivem hoje na Terra são os mesmos que viviam no tempo na queda dimensional da Atlântida porque não puderam mais sair da Terra devido a quarentena estipulada pelo Conselho Superior dos Anciões. Desta forma, também foi criado para a Terra o Conselho Kármico.

Nesta vida, com a ascensão planetária, os humanos que vivem hoje por aqui, e assim reencarnando desde a queda de Atlântida, estão tendo a oportunidade de transmutarem seu DNA, especificamente, as memórias de do jogo de poder, ganância e sedução. Esses humanos precisam de um trabalho individual gigantesco para se transmutarem. Porém, devido ao sua origem galáctica, dificilmente poderão se libertar e se limpar dessas memórias contidas no seu DNA.

Muitos já tem a consciência disso, que tem que fazer toda essa limpeza de alma. Porém, como um hábito milenar, essas pessoas mesmo querendo ascender junto com a Terra, dificilmente irão abandonar o jogo de poder e sedução que estão incrustados tão profundamente nelas mesmas. Daí o jogo de ego de muitos.

Como se pode observar, a ascensão dimensional é extremamente difícil para a maioria, mas não é impossível. E muitos ainda seguirão com seus karmas ainda por várias reencarnações sem crescimento de alma. Irão ainda viver esta vida na Terra, porém, após a sua morte, irão continuar seus karmas em outros planetas que ainda permanecem na 3D. São planetas parecidos com a Terra, porém com civilizações ainda muito atrasadas, bem mais que a civilização atual da Terra e onde ainda vivem dinossauros.


Fontes de apoio: 
  • Livro: A Sonda de Acturus - José Arguelles (Valum Votan)
  • Livro: O Antigo Segredo da Flor da Vida - vol 1 - Drunvalo Melcuizedek












3 comentários: