sábado, 15 de outubro de 2016

BOLÍVIA E PERU ERA A TERRA DO SOL DOS SUMÉRIOS ?




Outubro 15, 2016








Em um artigo sobre a taça Fonte Magna, April Holloway destacou a evidência da escrita suméria na América do Sul. A taça Fonte Magna e o monumento de Pokotia indicam que sumérios pode ter vivido anteriormente na América do Sul.

A possibilidade de que a escrita na taça Fonte Magna  foi usada pelos sumérios, e a identificação de nomes de lugares sumérios no Altiplano sugerem que a Bolívia e o Peru pode representar a "Tin Land of the West" ( Terra do Estanho do Oeste) ou a "terra do sol", nas inscrições sumérias .


Uma figura da Bacia Fonte Magna ( Cortesia da equipe de Bernardo Biados )



A Bacia Fonte Magna foi encontrada por ter dois tipos de manuscritos gravados no seu interior ( Cortesia da equipe de Bernardo Biados )


KUGA-KI

Os sumérios mencionam uma terra no Ocidente chamada Kuga-ki onde eles mineravam metais valiosos. O Dr. AH Sayce disse que a terra-do-Estanho sumeriana foi KUGA-KI. Sayce deixou claro que sumérios alegaram que obtinham o estanho desta terra.

Peof . AH Sayce


Os antigos sumérios foram grandes navegadores. Os navios sumérios partiram para o Egito, o Nordeste da África  e Vale do Indo ( Àsia ) em busca de metais e produtos para apoiar suas demandas da indústria e de bens populares por parte das pessoas. Samuel N. Kramer em Os sumérios , disse que o Egito nas inscrições sumérias foi Magan, e do Vale do Indo foi chamado Dilmun.

Rei Sargão em 2700 aC menciona que Kuga-Ki era parte de seu Império. Prof. Sayce, em um artigo chamado "Geografia de Sargão de Acádia", publicado na revista Egito Antigo, traduzido num documento escrito por um oficial assírio no século 8 aC. O documento afirma que o Império de Sargão I, incluía "os países desde o nascer ao pôr-do-sol, que Sargão, o... Rei conquistou com suas próprias mãos", incluíndo entre muitas outras terras a "Terra de Gutium", a "Terra do Muru (ou amorreus) "e (Kuga-Ki)" o país da Terra-do-estanho que está além do Mar Superior (ou do Mediterrâneo) ".



Cabeça de bronze de um rei, o mais provável que seja de 
Sargão de Acádia. ( Domínio Público )

Sayce acreditou que Kuga-Ki provavelmente estava localizada na Espanha. A presença da taça Fonte Magna  sugere que Kuga-Ki estava na América do Sul ao invés da Espanha. Kuga-Ki estava a oeste do Mediterrâneo, foi provavelmente o nome dado para alguma região no Norte ou América do Sul, pois as Américas estão localizadas a oeste do mar Mediterrâneo, enquanto a Espanha se encontra na Mediterrâneo.

AH Verrill e R. Verrill, em "Americas Ancient Civilizations" (Antigas Civilizações das Américas) , e J. Bailey em "Salling to Paradise" (Navegando no Paraíso), sustentam que a área em torno do lago Titicaca pode ter sido chamada de Lago Manu pelos sumérios. De acordo com o Verrills e Bailey, as tradições afirmam que os sumérios fizeram muitas visitas a oeste das terras do Mediterrâneo, que eles chamaram de o Kuga-ki. As tradições deixam claro que os sumérios navegaram para Kuga-ki em seus navios chamados de Magur. As tabuletas de escritas cuneiformes deixam claro os navios Magur podiam transportar 18,5 toneladas de metais preciosos.

AS OPERAÇÕES DE MINERAÇÃO


Os sumérios, provavelmente, fizeram o primeiro contato com o Kuga-Ki, através das correntes atlânticas que nos levam  a partir de África para o Brasil. Os mineradores, provavelmente, chegaram ao Brasil e desceram o rio Amazonas até que encontraram grandes depósitos de estanho na Bolívia e Peru. O importante centro de mineração na Bolívia-Peru  foi Potosi.



Mapa do rio Amazonas ( Fonte )

Uma vez que eles estabeleceram operações de mineração em Kuga-ki, a população local, provavelmente, começou a trabalhar nas operações de mineração e adotou muitos costumes sumérios, os termos linguísticos e da tecnologia social da escrita, ou seja, a escrita Proto-sumeriana. Isto significa que a escrita tem uma longa tradição entre o povo da Bolívia-Peru como Clyde Winters descreve em Ascient Scripts in South of América ( As Antigas Escritas da América do Sul).

REINO DE ANTIS


O Andes podem ter sido a terra do Estanho ou Kuga-Ki dos sumérios. As montanhas dos Andes foram originalmente chamadas Antis. Esta área foi anteriormente chamada Antisuyo, Reino de Antis. Esta foi também a pátria dos índios Antis. Na língua Quechua falada por muitos indios na área, antis significa cobre. Antis era também o nome dado aos povos nativos que viveram anteriormente nesta parte da América do Sul.

Antis é, provavelmente, de origem não-quíchua. A linguagem Chipaya, uma outra língua indígena falada na área, é diferente de Quechua e Aymara. Alguns pesquisadores afirmam Chipaya está intimamente relacionada com as línguas maias, que são faladas no México.

Esta parte da Bolívia é famosa pela riqueza de  minerais encontrados na área. Muitos destes metais são encontrados no Altiplano boliviano, perto do lago Poopo, um mar interior, que antigamente era ligado ao Oceano Pacífico por rios que agora secaram.




" Salar de Uyuni é parte do Altiplano da Bolívia na América do Sul. O Altiplano é um planalto, que foi formado durante a elevação das montanhas dos Andes. O planalto inclui lagos água doce e salgada, bem como as planícies de sal ". (Dimitry B. / CC BY 2.0 )

O Altiplano boliviano é a maior planície do mundo. Ele contém dois mares interiores: Lago Titicaca e o Lago Poopo. Esta área no alto das montanhas dos Andes torna um local apto para o Lago Manu ou o "Lago Nuvem" dos ​​sumérios, onde os metais foram minerados nas montanhas do sol, na terra situada a oeste do Mar Mediterrâneo.

O Lago Poopo possui cinquenta milhas (80 km) de comprimento. O lago era cercado por montanhas por todos os lados e canais. As imagens de satélite indicam que canais profundos  existiam perto do Lago Poopo anteriormente. É um mar raso com alguns pés de profundidade. O Lago Poopo é um mar salgado, por vezes conhecido como seco.


Kuga-Ki, A Terra do Estanho ocidental dos sumérios (Cortesia autor)


O Lago Titicaca e o Lago Poopo são conectados pelo Rio Desagua dero. O companheiro do Lago Poopo era o Lago Uru. A cidade de Oruro está localizada perto do Lago Uru.



A MONTANHA RICA


Os metais encontrados perto do Lago Poopo incluem cobre, estanho, ouro e prata. Neste lugar encontramos os metais que estão sendo extraídos nas cidades de Oruro e Corocoro onde o ouro e cobre foram minerados. Os nomes para estas cidades sugerem uma origem Suméria. Em sumeriano o nome da cidade é uru. Os sufixos -oro para as cidades em torno do Lago Poopo é muito semelhante à uru.

Também é interessante notar  um grande centro nesta área para mineração que é Potosi. Potosi é famosa por seus depósitos de estanho. Em Potosi encontramos a montanha Potosi que é formada de estanho sólido e foi chamada Monte Catavi.

A área de Potosi foi um importante centro de mineração. Nos 1550, os espanhóis começaram a explorar a prata encontrada no Monte de Potosi. Os espanhóis chamaram de Monte Potosi, Cerro Rico ou "Montanha ou Serra Rica". Como resultado da tentativa dos espanhóis para explorar plenamente as riquezas nesta área  foi "um terrível" número de índios que morreram nas minas. Hugh Thompson em The White Rock  : An Exploracion of de Inca Hearthland (A Pedra Branca: Uma Exploração no Coração da Terra dos Incas), descreve vividamente esta tragédia.

Thompson diz que "a mina consumiu o mercado de trabalho do Altiplano da Bolívia. Se eles não morriam, eles foram triturados pelo pedido de desculpas por causa do salário que foi pago a eles. Dentro de uma geração, a população dessas partes do Altiplano utilizada para o recrutamento na mina foi reduzida para metade. E a outra geração também foi reduzida pela metade. E ainda Potosi continuou a exigir a sua quota ". 

Na história moderna Potosi tem sido um centro para a mineração de estanho, cobre, chumbo e prata. Localizada perto Tihuanaca, Potosi pode ter sido um centro de venda sumeriana nos tempos antigos, como as cidades de Oruro e Corocoro. Bailey sugere que Potosi pode estar relacionada com o termo sumeriano patesi, o termo sumério que significa "rei sacerdote".


Potosi, a primeira imagem na Europa. Pedro Cieza de León, 1553. ( Domínio Público )

Os metais extraídos no Altiplano foram transportados ao longo do rio Pilcomyo (ou Rio da Prata hoje). Os sumérios podiam ter transportado metais da Bolívia através do Atlântico para a antiga Suméria. A grande rota para o transporte de estanho de Kuga-ki foi descendo o Rio da Prata, para o leste através do Atlântico, passando pelo Cabo da Boa Esperança, através do Oceano Índico para entrar no Golfo Pérsico e Mar Vermelho.


SÍMBOLOS


Além da semelhança entre os símbolos encontrados no monólito de  Pokotia, a Taça da Fonte Magna, e a tecelagem inca, encontramos também que esses símbolos que são idênticos aos sinais gravados em tijolos de Moche. Uma característica comum de Huanca ou das pedras incas esculpidas são as etapas cortadas na rocha.

Clyde Winters em Ascient Script in South  América ( Escritas Antigas da América do Sul): Os sumérios na América do Sul mostraram que o Trono Inca era um conjunto impecavelmente talhado de medidas rasas, semelhante aos sinais dos Proto-sumérios. Outros sinais de huacas ou pedras esculpidas nas Montanhas de Rodadero  e nas da  Pedra Branca em Chuquipalta relacionados notavelmente à escrita encontrada na  Pokotia e na taça Fonte Magna.

Além de influência sumeriana nos sistemas da escrita da América do Sul, é interessante notar que a estátua Pokotia e os monumentos de Tiahuanaco compartilham cocares semelhantes e impressões das costelas ao longo da área do peito. Isto indica uma relação entre os construtores destes monumentos.



Estátua de Pokotia à esquerda e estátua de Tiahuanaco à direita.


Na região onde Kuga-ki provavelmente existiu na América do Sul temos a língua aymara. O termo Aymara refere-se aos termos sumérios. Isto não é surpreendente devido ao que foi decifrado na estátua  de Pokotia e a taça Fonte Magna. Estes documentos indicam que os sumérios tinham estabelecido muitos aspectos da sua religião na Bolívia.

A prova linguística apoia a ideia de que os sumérios que viverm em Kuga-ki eram mineiros. O termo sumeriano para o cobre era urudu; este termo concorda com os termos Aymara para o ouro 'ouri ' e cobre 'anta , yawri' . A semelhança entre urudu e, yawri e ouri sugerem que os sumérios podem ter sido as primeiras pessoas na área que exploraram os metais encontrados em toda a área do Titicaca e da Bolívia.

A presença de termos sumérios na língua aymara, nomes de lugares sumérios, e escrita suméria na taça Fonte Magna e na estátua de Pokotia tornam óbvio que a civilização suméria foi anteriormente difundida na América do Sul. Isso me leva a crer que a região que é hoje a Bolívia e o Peru podem ter sido Kuga-ki, o "A Terra do Estanho do Oeste" mencionada nas inscrições sumérias.





Referências

J. Bailey. 'Sailing to Paradise'. Editora: Simon & Schuster; Primeira Edição edição Primeira impressão (1 de Agosto de 1995)

Abril Holloway, 2015. 'Fuente Magna, o controverso Rosetta Stone das Américas'. Acient-Origins.net [onilne] Disponível em: http://www.ancient-origins.net/artifacts-ancient-writings/fuente-magna-controversial-rosetta-stone-americas-003660

AH Sayce, "Geografia de Sargão de Akkad", Antigo Egito de 1924.

Hugh Thompson. 'The Rock Branca: uma exploração da Heartland Inca'. Publisher: Phoenix (15 de setembro de 2010)

AH Verrill e R. Verrill. "Americas antigas civilizações '. New York: Putnam Sons, 1952.

Clyde Winters. 'Scripts antigos na América do Sul: Os sumérios na América do Sul ". Editora: CreateSpace plataforma de publicação independente (11 de novembro de 2015) [Online] Disponível em: https://www.amazon.com/Ancient-Scripts-South-America-Sumerians/dp/1519257546


Fonte : Ancient Origins


Tradução : Sônia L. Pereira


Publicação : Mostradores da Luz - Somos do Futuro

Nenhum comentário:

Postar um comentário