Psicologia e Ciência Contemporânea, estudo e crescimento de alma Este blog foi criado para aqueles que estão despertando e para os que já estão despertos à Nova Era e à nova consciência. O AMOR INCONDICIONAL, a Compreensão e a Compaixão são os princípios da nova consciência e o acesso a 5ª Dimensão e Dimensões superiores é concedido para todos e é gratuito, e nada está lá fora, tudo está dentro de você e é só acessar. Não precisamos mais de Mestres. Somos nossos próprios Mestres. Seja bem vindo. SOMOS TODOS UM ! PAZ e LUZ! Namastê! Gratidão! Muito Obrigada!

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

POR QUE O AMOR É TÃO DOLOROSO ?






Setembro 15, 2014











O amor é doloroso, porque ele cria o caminho para a felicidade. 


O amor é doloroso porque transforma; 


o amor é mutação.



Cada transformação será dolorosa, porque o velho tem que ser deixado pelo novo. O velho é familiar, seguro, o novo é absolutamente desconhecido. Você estará se movendo em um oceano desconhecido. Você não pode usar a sua mente com o novo; com a antigo a mente é mais forte. A mente só pode funcionar com o antigo; com o novo, a mente é absolutamente inútil.



Assim, surge o medo, ao deixar o velho, confortável, seguro mundo, o mundo da conveniência, a dor surge. É a mesma dor que a criança sente quando sai do útero da mãe. É a mesma dor que o pássaro sente quando sai do ovo. É a mesma dor que o pássaro vai se sentir quando ele vai tentar pela primeira vez voar com sua própria asa.



O medo do desconhecido, bem como a segurança do conhecido, a insegurança do desconhecido, a imprevisibilidade do desconhecido, deixa a pessoa muito assustada.



E porque a transformação será a partir do eu para um estado de não-eu, a agonia é muito profunda. Mas você não poderá ter o êxtase sem passar pela agonia. Se o ouro quer ser purificado, ele tem de passar através do fogo.



O amor é fogo.



É por causa da dor do amor, que milhões de pessoas vivem uma vida sem amor. Elas também sofrem, e seu sofrimento é inútil. Sofrer no amor é não sofrer em vão. Sofrer no amor é criativo; você levará para os níveis mais elevados da consciência. Sofrer sem amor é totalmente um desperdício; ele te leva a lugar nenhum, ele mantém você em movimento no mesmo círculo vicioso.



O homem que é sem amor é narcisista, ele é fechado. Ele só conhece a si mesmo. E o quanto ele pode conhecer a si mesmo, se ele não conhece o outro, porque só o outro pode funcionar como um espelho? Você nunca vai conhecer a si mesmo sem conhecer o outro. O amor é muito fundamental para o auto-conhecimento também. A pessoa que não tenha conhecido o outro em profundo amor, na paixão intensa, em completo êxtase, não será capaz de saber quem ele é, porque ele não vai ter o espelho para ver seu próprio reflexo.



Relacionamento é um espelho, e quanto mais puro é o amor, quanto maior o amor, melhor o espelho, mais claro o espelho. Mas o amor superior precisa que você esteja aberto. Quanto maior for o amor mais precisa que você seja vulnerável. Você tem que deixar sua armadura; o que é doloroso. Você não tem que estar constantemente em guarda. Você tem que abandonar a mente calculista. Você tem que arriscar. Você tem que viver perigosamente. O outro pode prejudicá-lo; este é o medo de ser vulnerável. O outro pode rejeitá-lo; este é o medo de estar apaixonado.



O reflexo que você vai encontrar no outro do seu próprio eu pode ser feio; esta é a ansiedade. Evite o espelho. Mas, evitando o espelho você não vai se tornar bonito. Ao evitar a situação não fará você crescer. O desafio tem de ser feito.



A pessoa tem que amar. Esse é o primeiro passo em direção a Deus, e isto não pode ser ignorado. Aqueles que tentam ignorar a etapa de amor nunca vai chegar a Deus. Isso é absolutamente necessário, porque você se torna consciente de sua totalidade somente quando você é provocado pela presença do outro, quando a sua presença é reforçada pela presença do outro, quando são trazidos para fora o seu narcisismo, o mundo fechado sob o céu aberto .



O amor é um céu aberto. Estar apaixonado é sair voando com as asas. Mas, certamente, o céu sem limites gera medo.



E deixar o ego é muito doloroso, porque nós fomos ensinados a cultivar o ego. Nós achamos que o ego é o nosso único tesouro. Temos estado a protegê-lo, o temos decorado, temos estado continuamente polindo-o, e quando o amor bate à porta, tudo que é necessário para se apaixonar é colocar de lado o ego; Certamente é doloroso. É um trabalho de toda a sua vida, é tudo o que você criou - este ego feio, essa idéia de que "Eu sou separado da existência."



Essa idéia é feia, porque é falsa. Esta ideia é ilusória, mas existe na nossa sociedade, é com base nesta ideia de que cada pessoa é uma pessoa, não uma presença.



A verdade é que não há nenhuma pessoa em todo o mundo; há apenas presença. Você não é - não como um ego, separado do todo. Você é parte do todo. O todo penetra em você, o todo respira em você, pulsa em você, o todo é a sua vida.



O amor lhe dá a primeira experiência de estar em sintonia com algo que não é o seu ego. O amor lhe dá a primeira lição que você pode cair em harmonia com alguém que nunca fez parte do seu ego. Se você pode estar em harmonia com uma mulher, se você pode estar em harmonia com um amigo, com um homem, se você pode estar em harmonia com seu filho ou com sua mãe, porque você não pode estar em harmonia com todos os seres humanos ?



E se estar em harmonia com uma única pessoa dá tanta alegria, qual será o resultado se você está em harmonia com todos os seres humanos? E se você pode estar em harmonia com todos os seres humanos, por que não pode estar em harmonia com os animais e pássaros e as árvores? Então, um passo leva a outro.



O amor é uma escada. Ela começa com uma pessoa, que termina com a totalidade. O amor é o princípio, Deus é o fim. Ter medo do amor, ter medo das dores do crescimento do amor, é permanecer fechado em uma cela escura.



O homem moderno está vivendo em uma cela escura; é narcisista. Narcisismo é a maior obsessão da mente moderna.



E depois há os problemas, problemas que são sem sentido. Há problemas que são criativas, porque eles levam a consciência superior. Há problemas que levam a lugar nenhum; eles simplesmente o mantêm amarrado, eles simplesmente o mantêm em sua velha bagunça.



O amor cria problemas. Você pode evitar esses problemas, evitando amor. Mas esses são problemas muito essenciais! Eles têm que ser enfrentados, encontrados; eles têm que ser vividos e atravessados e ir além. E indo além, o caminho está completado. O amor é a única coisa real que vale a pena fazer. Tudo o mais é secundário. Se isso ajuda o amor, é bom. Tudo o mais é apenas um meio, o amor é o fim. Assim, qualquer coisa que tenha a dor, vai com amor.



Se você não entrar em amor, como muitas pessoas decidiram, então você está preso com você mesmo. Em seguida, sua vida não é uma peregrinação, em seguida, sua vida não é um rio indo para o oceano; sua vida é uma poça de água estagnada, suja, e logo não haverá nada além de sujeira e lama. Para manter-se limpo, é preciso continuar fluindo. Um rio permanece limpo, porque vai fluindo. O fluxo é o processo de permanecer continuamente virgem.



Um amante permanece virgem. Todos os amantes são virgens. As pessoas que não amam não podem permanecer virgem; eles se tornam dormentes, estagnados; eles começam a desandar mais cedo ou mais tarde - e, mais cedo ou mais tarde - porque eles não têm para onde ir. A vida deles está morta.



É neste ponto que o homem moderno se encontra, e, por isso, todos há tipos de neuroses, todos os tipos de loucuras, e tornaram-se galopantes. A doença psicológica tomou proporções epidêmicas. Não são mais alguns indivíduos que estão psicologicamente doentes; na realidade toda a Terra se tornou um hospício. Toda a humanidade está sofrendo de uma espécie de neurose.



E que a neurose é proveniente de sua estagnação narcisista. Todo mundo está preso com a própria ilusão de ter um eu separado; então as pessoas enlouquecem. E essa loucura não tem sentido, é improdutiva, sem criatividade. Ou as pessoas começam a se suicidar. Esses suicídios também são improdutivos, sem criatividade.



Você não pode cometer suicídio tomando veneno ou saltando de um penhasco ou atirando-se, mas você pode cometer um suicídio em um processo muito lento, e isso é o que acontece. Muito poucas pessoas se suicidam de repente. Outros decidiram por um lento suicídio; gradualmente, aos poucos, lentamente morrem. Mas quase que  a tendência de ser suicida se tornou universal.



Isto não é maneira de viver, e a razão, a razão fundamental, é que esquecemos a linguagem do amor. Nós não somos mais corajosos o suficiente para entrar nessa aventura chamada amor.



Por isso as pessoas estão interessadas em sexo, porque o sexo não é arriscado. É momentâneo, você não irá se envolver. O amor é o envolvimento; é compromisso. Não é momentâneo. Uma vez que é preciso ter raízes, poderá ser para sempre. Pode ser um envolvimento ao longo da vida. O amor precisa de intimidade, e só quando você é íntimo que o outro pode tornar-se um espelho. Quando você encontrar-se sexualmente com uma mulher ou um homem, você ainda não conheceu um ao outro; na verdade, você evitou a alma da outra pessoa. Você acabou de usar o corpo e fugiu, e o outro usou o seu corpo e fugiu. Você nunca se tornou íntimo o suficiente para revelar uns aos outros seus rostos originais. 


O amor é o maior koan zen.



É doloroso, mas não pode evitar. Se você evita você tem evitado a maior oportunidade para crescer. Vá para ele, sofra de amor, porque através do sofrimento, vem uma grande êxtase. Sim, há agonia, mas a partir da agonia nasce o êxtase. Sim, você vai ter que morrer como um ego, mas se você pode morrer como um ego, você vai nascer como Deus, como um Buda. E o amor vai lhe dar a primeira prova do gosto na ponta-da-língua do Tao, do Sufismo, do Zen. O amor vai lhe dar a primeira prova de que Deus existe.



As pessoas que dizem que a vida é sem sentido são as pessoas que não conheceram o amor. Tudo o que elas estão dizendo é que a sua vida perdeu o amor.



Que venha a dor, vamos lá esta sofrendo. Vá até a noite escura, e vai chegar um belo nascer do sol. É só no seio da noite escura que o Sol evolui. É somente através da noite escura que a manhã vem.



Toda a minha abordagem aqui é a do amor. Eu ensino só o amor e apenas o amor e nada mais. Você pode esquecer Deus; que é apenas uma palavra vazia. Você pode esquecer as orações porque são apenas rituais impostos pelos outros sobre você. O amor é a oração natural, não imposta por ninguém. Você nasce com ela. O amor é o verdadeiro Deus - não é o Deus dos teólogos, mas o Deus de Buda, Jesus, Maomé, o Deus dos sufis. O amor é um tariqa, um método, para matá-lo como um indivíduo separado e ajudá-lo a tornar-se o infinito. Desaparecer como uma gota de orvalho e tornar-se o oceano, mas você vai ter que passar pela porta do amor.



E, certamente, quando se começa a desaparecer como uma gota de orvalho, e para aquele que viveu como uma gota de orvalho, dói, porque a pessoa fica pensando: "Eu sou isso, e agora isso está acontecendo. Estou morrendo." Você não está morrendo, mas apenas uma ilusão está morrendo. Você se identifica com a ilusão, é verdade, mas a ilusão ainda é uma ilusão. E só quando a ilusão se for, você será capaz de ver quem você é. E esta revelação lhe traz para o pico final de alegria, felicidade, celebração.



OSHO 

Do livro : The Secret - Capítulo 2


Por : Deva Shabdam Janete




OSHO

Nenhum comentário:

Postar um comentário